Feeds:
Posts
Comentários

O Inventário Florestal Nacional (IFN) e o Serviço Florestal Brasileiro (SFB), por intermédio da empresa STCP Engenharia de Projetos Ltda (Curitiba-PR), responsável pela condução e execução do Inventário Florestal no Estado de Rondônia, contam com o apoio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), através do fornecimento de informações, no auxílio do planejamento logístico e também na divulgação das atividades, decorrentes do Inventário do Estado.
O levantamento constitui-se de um instrumento de planejamento que visa fornecer informações sobre as florestas naturais e plantadas, sua composição, extensão e distribuição espacial, seus estoques, sua diversidade e sua dinâmica, no Estado de Rondônia.
O IFN é uma iniciativa promovida pelo SFB com o objetivo de levantar informações sobre os recursos florestais do país de forma sistematizada e periódica. Seus dados são baseados na coleta de dados em campo, ou seja, diretamente na floresta, o que permite obter maior diversidade de informações e com maior precisão.
A coleta de dados de campo ocorrerá em 423 pontos, distribuídos sistematicamente por todo o Estado, onde serão coletados dados de vegetação, incluindo a identificação das espécies arbóreas e variáveis qualitativas e quantitativas que permitirão a caracterização do ecossistema florestal. Simultaneamente à medição nesses pontos amostrais será realizado um levantamento socioambiental com moradores do entorno dos pontos de coleta, para gerar informações sobre como as comunidades e os moradores das áreas rurais percebem e utilizam os seus recursos florestais.
Em cada ponto amostral, equipes formadas por engenheiros florestais e outros profissionais deverão realizar medições como as de altura e diâmetro das árvores; verificar as espécies presentes, a existência de epífitas (plantas que crescem sobre outras, como bromélias); realizar a coleta de solos e de material botânico (folha, flores e frutos), entre diversas outras atividades. Esses dados permitirão conhecer, por exemplo, o nível de degradação ou preservação dos recursos florestais.
O Inventário também irá revelar a percepção das populações locais sobre a existência, uso e conservação dos recursos florestais. Para cada ponto amostral, serão entrevistados moradores preferencialmente em um raio de até quatro quilômetros.
Atualmente, sete estados do país estão em fase de coleta de dados: Ceará, Espírito Santo, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Sergipe. Esse trabalho já foi encerrado no Distrito Federal e Santa Catarina, que foi o primeiro a concluir e a divulgar os resultados.
O Serviço Florestal Brasileiro não é um órgão fiscalizador e a atividade que está sendo realizada não se trata de qualquer tipo de fiscalização das propriedades rurais. Por isso, não haverá qualquer tipo de multa ou apreensão de material. O local de coleta de dados foi escolhido ao acaso, não havendo qualquer relação com a propriedade e seu uso.
Fonte:

http://www.rondonia.ro.gov.br/2014/11/30522/

http://www.stcp.com.br/noticias/rondonia-inicia-inventario-florestal-nacional-por-intermedio-da-stcp-engenharia-de-projetos-ltda-p560

Vencedora de uma licitação da modalidade Tomada de Preços, a STCP executará para o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), tendo como objetivo o desenvolvimento de projetos de arquitetura, urbanismo e de engenharia complementares para construção de edificação anexa ao Fórum de Taguatinga, o reestudo para ampliação do estacionamento de todas as edificações existentes e o novo Anexo; e a elaboração dos projetos para regularização dos prédios situados na área do Fórum de Taguatinga.
O Fórum de Taguatinga está situado em uma área de 44.000 m² e também estão previstos ainda a elaboração do Relatório de Impacto de Trânsito (RIT) e o Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV). Serão elaborados os projetos básicos e executivos de arquitetura, paisagismo e urbanismo, sinalização visual, fundações e cálculo estrutural, instalações hidrossanitárias, elétricos, rede interna estruturada, detecção, proteção, alarme e combate a incêndio, condicionamento de ar, segurança predial, elevadores e plataformas prediais, sonorização, gás canalizado, automação predial, impermeabilização, conservação predial, serviços preliminares e regularização das edificações existentes. Também serão fiscalizadas as obras após a aprovação dos projetos e contratação da empresa que será responsável pela execução das mesmas.

http://www.stcp.com.br/noticias/stcp-apoiara-a-elaboracao-de-projetos-de-engenharia-para-o-tribunal-de-justica-do-distrito-federal-p565

A STCP assinou no dia 08/12 contrato com a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (CODEVASF), empresa pública vinculada ao Ministério da Integração Nacional, para a execução dos serviços de apoio à fiscalização e supervisão técnica de contratos e convênios das obras e ações, no âmbito do programa de recuperação e controle de processos erosivos, no Estado de Minas Gerais, na área de abrangência da 1ª Superintendência Regional (Região de Montes Claros). O contrato foi resultante de um processo de concorrência pública da qual a STCP foi vencedora.
Serão supervisionados e fiscalizados os serviços integrantes de convênios firmados entre a CODEVASF e o Governo de Minas Gerais (Instituto Estadual de Florestas, Secretaria de Agricultura e Pecuária e Abastecimento por intermédio da EMATER e Fundação Ruralminas), tendo como objetivo o desenvolvimento de ações como a recuperação e proteção de nascentes e matas ciliares, construção de bacias de captação de água de chuva, construção de terraços e adequação de estradas rurais, em mais de 100 municípios da região norte de Minas Gerais.
Durante 36 meses, uma equipe composta por um coordenador, dois engenheiros de campo, 06 técnicos agrícolas ou florestais, 02 técnicos em geoprocessamento e 01 apoio administrativo, sediados em Montes Claros, executarão os serviços em apoio à Gerência Regional de Revitalização de Bacias Hidrográficas da Superintendência da CODEVASF local. Tais convênios são importantes ações em andamento do Programa de Revitalização da Bacia Hidrográfica do São Francisco do Governo Federal, do qual a CODEVASF é uma das instituições executoras.

http://www.stcp.com.br/noticias/stcp-assina-contrato-com-codevasf-para-o-apoio-a-revitalizacao-da-bacia-do-sao-francisco-em-minas-gerais-p564

O objetivo do trabalho é desenvolver estudos que permitam identificar a disponibilidade de terras (cerca de 400 mil hectares) e seu potencial para estabelecer plantações comerciais competitivas como base de suprimento de madeira para a indústria de celulose. Em termos de alcance geográfico, praticamente metade do país será objeto de análise. O trabalho contempla três componentes: Técnico, Comercial e Financeiro.
O Componente Técnico inclui uma série de aspectos, entre os quais a estruturação de um SIG, macro zonificação das áreas com potencial para o estabelecimento de plantios florestais, análises pormenorizadas das áreas selecionadas para estimativas de potencial produtivo das florestas, e por fim a seleção das áreas que deverão compor a base de suprimento de madeira para a indústria.
O Componente Comercial consiste de estudos de mercado no Equador e em nível internacional, a identificação de potenciais parceiros estratégicos para o empreendimento, a elaboração de um plano de gestão de atores interessados em participar do projeto, e termos de referência para contratação de empresas que futuramente deverão se engajar no desenvolvimento dos plantios florestais.
O Componente Financeiro, tendo como base os resultados dos componentes técnico e comercial, considera uma modelagem econômico/financeira para avaliar a viabilidade do desenvolvimento dos plantios florestais.

http://www.stcp.com.br/noticias/a-stcp-firmou-contrato-com-a-ep-petroecuador-para-realizar-ldquoservicos-de-assessoria-para-caracterizacao-de-uma-industria-de-celulose-amp-papel-no-equadorrdquo-p566

No dia 19 de novembro, Dr. Joésio D. P. Siqueira, Vice Presidente da STCP, participou da 15ª Reunião do Conselho Regional de Meio Ambiente da CNI (COEMA REGIONAL CENTRO-NORTE), no painel sobre Desenvolvimento Florestal Sustentável, proferindo apresentação sobre o Futuro da Indústria Brasileira de Base Florestal.
O conselho regional é composto por representantes de associações setoriais e de federações estaduais das indústrias dos estados das Regiões Centro-Oeste e Norte, e tem como objetivos básicos:
• Discutir e propor estratégias relacionadas com as macro questões de interesse do setor industrial e projetos legislativos da área ambiental;
• Apresentar subsídios ao processo decisório dos órgãos diretivos da CNI relacionados com o posicionamento estratégico e a atuação da entidade na defesa de interesses da indústria brasileira;
• Ampliar a participação de setores representativos, organizações e associações do segmento industrial, buscando consolidar e uniformizar a ação de representação da CNI.

http://www.stcp.com.br/noticias/stcp-participa-da-15a-reuniao-do-conselho-regional-de-meio-ambiente-da-cni-coema-regional-centronorte-p559

Dr. Joésio D. P. Siqueira, Vice-Presidente da STCP, participou do Congresso Madeira 2014, com a apresentação do tema Posicionamento Brasileiro no Mercado Internacional, no dia 30 de outubro, painel 2 às 13:30 h.
Entre os dias 30 e 31 de outubro o Rio de Janeiro sediou o Madeira 2014 (Congresso Internacional de Desenvolvimento Econômico Sustentável da Indústria de Base Florestal e de Geração de Energia). Em sua sétima edição, o congresso destacou como tema central a competitividade do setor de base florestal no mercado internacional, as oportunidades de um setor que responde por 6% do PIB industrial brasileiro e que gera emprego para cerca de 4% da população economicamente ativa do país.
Durante os dois dias de evento o Madeira 2014 reuniu cerca de 300 participantes para apresentação de projetos, temas e programas para o setor de florestas plantadas, incluindo debates e propostas. O objetivo foi descortinar o panorama nacional e internacional, vislumbrando o desenvolvimento atual e futuro do setor.
O evento contou ainda com a participação de professores, estudantes, pesquisadores, representantes de empresas, entidades de classe e autoridades governamentais de todos os níveis, interessados em discutir e propor medidas relativas ao desenvolvimento sustentável das atividades de florestas plantadas e industrialização da madeira nas diversas cadeias, com foco na busca de aumento de competitividade internacional. Contou também com a participação de dirigentes das principais organizações nacionais e internacionais ligadas ao setor florestal.
Confira a apresentação em:
Joesio_Madeira-2014-Firjan_2014-10-22.pdf

Na Finlândia, dois terços das áreas florestais são de origem privada, com mais de 900 mil propriedades e tamanho médio de apenas 26 hectares. Um finlandês em cada cinco é proprietário florestal.

Acesse:

Joesio Siqueira Revista Opinioes (pag.47).jpg

Joesio Siqueira Revista Opinioes (pag.48).jpg

http://www.stcp.com.br/noticias/experiencias-internacionais-com-fomento-florestal-joesio-siqueria-para-revista-opinioes-p552

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.